Glaucoma

22/11/2021 às 17:55:06 (há 2 meses)
Saúde

O que é

Glaucoma é uma neuropatia óptica que leva a uma restrição do campo de visão associado a alterações no nervo óptico e nas fibras nervosas da retina.

É considerada a principal causa de cegueira irreversível no mundo e, aproximadamente, 50% das pessoas que tem glaucoma hoje, não sabem que tem a doença.
 

Tipos

Existem tipos de glaucoma e é importante conhecê-los para saber a diferença entre eles.
•    Glaucoma primário de ângulo aberto: é o tipo mais comum e costuma ser hereditário. Nesse caso, o aumento da pressão intraocular causa um dano ao nervo óptico com o passar do tempo.
•     Glaucoma primário de ângulo fechado: a malha trabecular é bem estreita ou fechada, dificultando a saída do humor aquoso e aumentando a pressão intraocular. Apesar de não ser o mais comum, é um dos tipos mais graves.
•    Glaucoma congênito: é quando o bebê já nasce com a doença. Os sinais mais comuns são um olho aumentado de tamanho, azulado, lacrimejamento e fotofobia. Na maioria dos casos o tratamento é cirúrgico.
•    Glaucoma secundário: é o tipo causado pelo uso de medicamentos, por traumas ou por outras doenças oculares e sistémicas.

 

Causas

A causa do glaucoma é um desbalanço entre a produção e a drenagem do humor aquoso, que é um líquido que nosso olho produz e preenche o globo ocular. Esse desbalanço pode ter origem genética ou ser secundário a traumas, medicações, problemas oculares entre outros. O aumento da pressão intraocular é o principal fator de risco. Mas saiba que, também, existe glaucoma com pressão intraocular normal.

 

Sintomas

O glaucoma é assintomático no ínicio. Contudo, com o passar do tempo há o comprometimento da visão periférica levando a uma perda progressiva do campo visual. Se não for tratado, o glaucoma pode levar a cegueira irreversível.

 

Fatores de risco

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento do glaucoma:
•    Pressão intraocular elevada;
•    Histórico familiar de glaucoma;
•    Idade acima de 40 anos;
•    Doenças oculares como uveíte, catarata avançada, retinopatia diabética.
•    Uso prolongado de medicamentos à base de corticosteroides;
•    Doenças sistêmicas como diabetes, apnéia noturna, entre outras.

 

Tratamento

O objetivo do tratamento tem o objetivo de reduzir a pressão intraocular.
Conseguimos isso através de:
•    Uso de colírios
•    Tratamento a laser
•    Tratamento com cirúrgia

A forma de tratamento mais eficaz para cada caso depende do tipo e da gravidade do glaucoma que o paciente tem. 

 

Recomendações

Pacientes que devem ter mais atenção e fazer visita regular ao médico oftalmologista:
•    Pessoas acima dos 40 anos
•    Histórico familiar de glaucoma
•    Aumento da pressão intraocular ou alteração do nervo óptico ao exame de rotina
Apesar de ser não ter cura, o glaucoma tem controle e o diagnóstico precoce é fundamental para manter uma boa visão!
 

 

Perguntas frequentes

Cirurgia oftalmológica tem risco?
Sim, qualquer procedimento cirúrgico tem risco. Nas cirurgias oftalmológicas, seguimos uma série de protocolos que fazem esses riscos serem muito baixos. É importante operar com um cirurgião capacitado, um centro cirúrgico equipado e com a estrutura necessária para resolver possíveis problemas, realizar exames pré operatórios e no pós operatório, seguir corretamente as orientações e fazer o repouso solicitado. Com isso, sua cirurgia será segura e você ficará bem.

A cirurgia ocular deixa alguma cicatriz?
Depende da cirurgia, cirurgias de plástica ocular deixam discretas cicatrizes no local e o médico vai tentar escondê-las nas dobras da pele. Cirurgias de catarata, glaucoma ou na córnea fazem incisões (cortes) de poucos milímetros, portanto as cicatrizes não serão visíveis sem o uso de equipamentos especiais.

Os hipertensos e diabéticos podem fazer cirurgias oculares?
Depende da cirurgia, cirurgias de plástica ocular deixam discretas cicatrizes no local e o médico vai tentar escondê-las nas dobras da pele.
Cirurgias de catarata, glaucoma ou na córnea fazem incisões (cortes) de poucos milímetros, portanto as cicatrizes não serão visíveis sem o uso de equipamentos especiais.


Qual tipo de anestesia é utilizada na cirurgia de glaucoma e catarata?
Por serem cirurgias um pouco mais demoradas, realizamos uma anestesia local (ao redor do olho) associado a uma sedação.

Onde a cirurgia será realizada?    
Na Clinos Hospital de Olhos temos um centro cirúrgico especializado, seguro e confortável, que conta com salas preparadas para a cirurgia, além de leitos e apartamentos. Nosso centro cirúrgico além de dispor de equipamentos de última geração, é equipado com gerador para evitarmos qualquer surpresa.

Existe outro tratamento para cirurgia de glaucoma?
Inicialmente o tratamento de glaucoma é com colírios ou laser.
A cirurgia se torna necessária quando a doença está progredindo apesar do uso dos colírios.


Quanto tempo dura a cirurgia?
A cirurgia de glaucoma dura em média 40-60 minutos

Após o efeito da cirurgia é comum sentir dor?
Não. Geralmente as cirurgias oftalmológicas não causam dor no pós operatório. Mas, caso haja algum desconforto, pode-se tomar algum analgésico ou anti-inflamatório.